Cefaleia em salvas

Cefaleia em salvasTratamento

A Dor de Cabeça em Salvas, ou “Cluster Headache”, é o tipo de dor de cabeça mais intensa descrita pela medicina, habitualmente caracterizada pelos pacientes como sendo em “facadas ou em pontadas finas penetrantes”. A localização mais comum, mas não obrigatória, é em volta de um olho, podendo ser na fronte e na têmpora do mesmo lado. Alguns pacientes têm a dor se irradiando para a face e até para o pescoço e eombro. A dor é essencialmente unilateral. Os sofredores de dor de cabeça em salvas adotam medidas desesperadas durante as crises, como bater com a cabeça na parede para tentar aliviar a dor ou ficar se movimentando como se o repouso piorasse a dor. Ela se apresenta de forma rítmica, fazendo com que alguns pacientes consigam prever o horário da próxima crise ou a época em que ela se iniciaria novamente, provocando grande ansiedade antecipatória.

Não é tão comum como outras dores de cabeça primárias, como a enxaqueca e as dores de cabeça do tipo tensional. As causas dessa dor ainda são desconhecidas, mas parece haver uma disfunção em um núcleo de uma importante estrutura cerebral chamada hipotálamo.

Há estudos recentes sugerindo a relação entre a dor de cabeça em salvas e distúrbios do sono, como apnéia e ronco, mas nem todos os sofredores de salvas demonstram essa relação. Os mecanismos que deflagram o reaparecimento das crises são desconhecidos, mas durante o período de surto ou de ” cluster” as crises podem ser iniciadas pela ingestão de bebidas alcoólicas (mesmo em pequenas quantidades) ou pelo contato com solventes/produtos químicos. Durante a dor, ocorrem alterações do tipo edema (inchação) e tortuosidade na parede da artéria carótida interna em determinados trechos de seu trajeto dentro do crânio. Já se sabe que a dor de cabeça em salvas não é causada por alergias, fumo, álcool e herança genética (apesar de trabalhos recentes sugerirem ligação genética entre o cluster e pacientes com enxaqueca). É comum esses pacientes serem erradamente diagnosticados como sofredores de enxaqueca, neuralgia do trigêmeo, dor facial atípica e problemas de oclusão dentária, sendo muitas vezes submetidos a terapias erradas e esdrúxulas como laser, prescrição de antiepiléticos, cirurgias, tratamentos dentários e outras.

A cefaleia em salvas compromete de 0,1% da população, sendo que os homens são mais acometidos que as mulheres, em uma proporção variável que pode oscilar, dependendo do estudo epidemiológico, de dois para um até nove para um. Essa dor normalmente inicia-se entre as idades de 20 a 40 anos, mas já tivemos pacientes com menos de 20 anos de idade.

SALVA é o período de tempo (em geral de dois a quatro meses) durante o qual ocorrem as crises de dor.

Como reconhecer a cefaleia em salvas?

Normalmente as crises da Dor de Cabeça em Salvas apresentam-se como:

Abaixo podemos observar a face típica de um sofredor de dor de cabeça em salvas: